Rádio Acervo

Francisco Sá - O homem a cidade

  História

Em 1704, o capitão Antônio Gonçalves Figueiras, proprietário das fazendas Jaíba, Olhos D’água e Colônia Montes Claros, desejando ligar esta última ao Rio Gorutuba e dali aos currais da Bahia, em meados de outubro, organizou uma pequena expedição com número provável de 20 trabalhadores, inclusive índios, e partiu de sua Colônia em direção ao nordeste6 .
Depois de alguns dias de viagem, a expedição chegou a um lugar próximo da serra Catuni ou Decamão. Já sendo tarde, o capitão decidiu acampar ali mesmo com seus comandados, dando ao local a denominação de Cruz das Almas das Caatinga do Rio Verde, em razão de correr o Dia de Finados. Ali mandou erigir um cruzeiro e, lançando assim os fundamentos do futuro município, profetizou que o lugarejo se tornaria um comércio próspero, não só pela sua posição geográfica, como também pelas riquezas naturais de suas terras.
No ano de 1867, o então distrito passou a ser chamado de São Gonçalo do Brejo das Almas, subordinado ao município de Montes Claros. Em 1923, foi elevado à categoria de município com o nome de Brejo das Almas, desmembrado de Montes Claros e Grão Mogol. Em 1948, a localidade passou a ser reconhecida por sua atual denominação.
Francisco de Sá deve seu nome atual ao Dr. Francisco Sá, que, além de engenheiro, foi, durante muitos anos, Ministro da Viação e Obras Públicas.

 

Francisco Sá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Francisco Sá (Brejo de Santo André, 14 de setembro de 186223 de abril de 1936) foi um engenheiro, jornalista e político brasileiro.
Foi deputado provincial, ministro de Viação e Obras Públicas dos governos Nilo Peçanha e Artur Bernardes e da Agricultura, Indústria e Comércio de Nilo Peçanha. Foi deputado geral, deputado federal e senador de 1906 a 1927.
Filho de Francisco José de Sá filho (Brejo de Santo André, 10 de abril de 1832 - 1868) e de Agustinha Josefina Vieira Machado dos Santos Sá. Seu pai era filho do Coronel Francisco José de Sá (2 de dezembro de 1802 -1894) e de Jacintha Francisca Veloso de Sá (1811 - 1878). Sua mãe era filha de Josefino Vieira Machado, Barão de Guaicuí (1812 - 1879) e Maria Silvana dos Santos. Casou-se com Olga Nogueira Pinto Accioli, filha de Antônio Pinto Nogueira Accioli.
A Fazenda Brejo de Santo André, de propriedade de seu avô Francisco José de Sá, pertencia ao município de Grão Mogol, hoje pertence ao município de Francisco Sá (antigo Brejo das Almas). Seu avô, Francisco José de Sá, era republicano e abolicionista.





1862 a 1936





















Esposa: Olga Accioly

Engenheiro de Minas pela universidade de Ouro Preto, Deputado Federal, Senador e Ministro de Estado da Viação e Obras Públicas.

 










Olga Accioly - Esposa















Agustinha Josefina Vieira Machado dos Santos  Mãe





 










Biografia
O Dr. Francisco Sá, nasceu na Fazenda do Brejo de Santo André, no Município do Brejo das Almas, Minas Gerais, no dia 14 de Setembro do ano 1862 e faleceu no dia 23 de Abril de 1936. Possuía inteligência extremamente avançada e muito além de seu tempo, foi engenheiro, jornalista, político e um grande Ministro. Exerceu com competência e galhardia por três vezes os Ministérios da Viação Transportes e Obras Públicas, nos governos de Nilo Peçanha e Artur Bernardes de 1909 a 1910 e de 1922 a 1926 e em 1909 assumiu o Ministério da Agricultura Industria e Comércio. Foi ainda Deputado Federal e Senador no período de 1906 a 1927.
Era filho de Francisco José de Sá Filho, rico fazendeiro e criador de gados, sendo a fazenda do Brejo de Santo André onde nascera, propriedade de seu avô. Aos seis anos de idade, Francisco Sá, o homem, recebera da vida tremendo golpe quando seu pai, o fazendeiro Francisco José, no ano de 1868, com apenas 36 anos veio a falecer. Ficara aos cuidados de sua mãe Dona Agustinha Josefina Vieira Machado dos Santos Sá, que arregaçou as mangas e procurou suprir a ausência do pai dotando-o de todo conforto, educação, disciplina que viriam a ser fatores determinantes em sua carreira de surpreendente sucesso. Na fazenda Brejo de Santo André o Dr. Francisco Sá passara toda a sua infância e parte de sua adolescência quando finalmente se deslocou para a Capital da Republica, Rio de Janeiro, tendo primeiro passado por Belo Horizonte, para concluir seus bem-sucedidos estudos. -A formação Política do Dr. Francisco Sá, o homem, veio de berço. Seu avô Francisco era ferrenho Republicano e abolicionista. -Enquanto Ministro da Viação Transportes e Obras Públicas, Francisco Sá, o homem, deitou dormentes sobre os quais repousam centenas de quilômetros de trilhos por onde antes escoava quase toda riqueza produzida nos mais inatingíveis rincões do Norte das Gerais. Timidamente foram surgindo ao redor das estações de trem, povoados que posteriormente se transformaram em grandes e progressistas Cidades. Tudo isso graças a força de suas marias-fumaça a carvão, que depois foram substituídas pelas locomotivas atuais, hoje quase inexistentes. Em homenagem ao grande Brasileiro que foi o Dr. Francisco Sá, o homem, a Cidade do Brejo das Almas em cujo Município nascera, orgulhosa de sua grande inteligência, humildade (pois mesmo tendo nascido em berço de ouro, atingido o mais elevado status social), jamais deixou de se apresentar como “brejeiro”, inclusive em certa ocasião, intrigados, perguntaram-no porque tanta “brejeirice” quando ele respondeu que a divina providência assim o denominou quando o fez nascer no “Brejo de Santo André”, no município do também brejo, o “Brejo das Almas”. Que tantos brejos em sua vida eram suficientes para não deixa-lo esquecer de onde viera. Hoje o Brejo das Almas orgulhosamente ostenta o nome de Francisco Sá, que lhe fora dado pelo Decreto-lei estadual nº 148, de 17-12-1938.
Montes Claros em 1936
"Falece, no Rio de Janeiro, o grande estadista e homem público, dr. Francisco Sá. Nasceu na fazenda Brejo do Santo André, então município de Grão Mogol, do Santo André, então município de Grão Mogol, Minas, a 14 de setembro de 1862, filho de Francisco José de Sá Filho e dona Agostinha Josefina de Sá. Fez o curso secundário em Diamantina, diplomando-se em engenharia pela Escola de Minas de Ouro Preto, em 1884, tirando o primeiro lugar em sua turma, de que foi o orador oficial. Exerceu o cargo de Secretário do Presidente da Província do Ceará, dr. Carlos Honório Benedito Otoni, logo após a sua formatura. Elegeu-se Deputado Provincial pelo Estado de Minas e depois Deputado Geral pelo Ceará. Quando foi proclamada a República, regressou a Minas, e neste Estado, desempenhou as funções de Diretor do Serviço de Terra e Colonização. Fez parte do Governo do Estado de Minas, como Secretário da Agricultura, na presidência Bias Fortes. Logo depois foi eleito Deputado pelo Ceará e, em seguida, representante daquele Estado na Câmara Alta. Como Ministro da Viação na presidência de Nilo Peçanha e na de Arthur Bernardes, construiu estradas de ferro, portos, aumentou as linhas telegráficas e as comunicações postais, iniciou o combate às secas e estimulou a exploração de minérios. Para Montes Claros, por se ter esforçado ao máximo para ali inaugurar a E.F. Central do Brasil, o que se concretizou a 1º de setembro de 1926, “foi o maior e melhor amigo”, tal como se acha gravado na placa de bronze do movimento que lhe perpetua a glória, na praça que tem o seu nome, em Montes Claros, em frente à Estação da Central do Brasil. Sua memória é justamente venerada pelos montesclarenses. Pelos dons extraordinários de tribuno, aliados à vasta cultura, foi considerado o primeiro parlamentar brasileiro em sua época. Era casado com dona Olga Acioly."

Fonte: http://www.geni.com/people/Francisco-S%C3%A1/6000000008341228181



Gentílico: francisco-saense

Histórico

Francisco Sá Minas Gerais - MG
Histórico
TUDO INDICA que os primeiros habitantes foram índios de nação ignorada, provavelmente expulsos pelos bandeirantes paulistas, chefiados por Antônio Gonçalves Figueira, que se dirigia a local próximo à serra do Catuné ou Decamão, na cabeceira da Lagoa, a que chegaram em 1704. Acompanhado, mandou erigir um cruzeiro e lançar os fundamentos do futuro município. Em 1760, chegaram, ao já pequeno arraial, o major Antônio Gonçalves da Silva e sua mulher, trazendo carta de sesmaria dada pelo Conde da Bobadela.
Atraídos pelas riquezas naturais, posição geográfica e exuberância da flora, constituída de madeiras de lei, outras pessoas para lá se dirigiram, fazendo da agropecuária a base do desenvolvimento do núcleo.
O topônimo foi homenagem a Francisco Sá, ministro da Viação e Obras Públicas, nascido na Fazenda Santo André, em território pertencente ao Brejo das Almas, hoje município de Francisco Sá

Gentílico: francisco-saense
Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de São Gonçalo do Brejo das Almas, pela lei provincial nº 1398, de 27-11-1867, e por lei estadual nº 2, de 14-09-1891, subordinado ao município de Montes Claros.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito já denominado Brejo das Almas, figura no município de Montes Claros.
Elevado à categoria de município com a denominação de Brejo das Almas, pela lei estadual nº 843, de 07-09-1923, desmembrado de Montes Claros e Grão Mogol. Sede no antigo distrito de Brejo das Almas. Constituído do distrito sede. Instalado em 07-09-1924.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede.
Pelo decreto-lei estadual nº 148, de 17-12-1938, o município de Brejo das Almas passou a denominar-se Francisco Sá.
Pelo decreto-lei estadual nº 1058, de 31-12-1943, é criado o distrito de Janaúba e anexado ao município de Francisco Sá.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Francisco Sá e Janaúba.
Pela lei municipal nº 336, de 27-12-1948, é criado o distrito de Canabrava e anexado ao município de Francisco Sá. Sob a mesma lei acima citado desmembra do município de Francisco de Sá o distrito de Janaúba. Elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de I-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos. Francisco Sá e Canabrava.
Pela resolução nº 04, de 25-02-1964, Francisco Sá adquiriu do município de Grão-Mogol o distrito de Catuni.
Em divisão territorial datada de I-I-1979, o município é constituído de 3 distritos: Francisco Sá, Canabrava e Catuni.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica municipal
São Gonçalo do Brejo das Almas para Francisco Sá alterado, pelo decreto-lei estadual nº 148, de 17-12-1938.


Nenhum comentário:

Postar um comentário